Imprensa

Igreja São Luís celebra 50 anos de difusão no Maranhão

Lucia Martuscelli - setembro, 2017
IMG_9797_JPG

Nos dias 18 e 19 de agosto, o presidente da Igreja Messiânica Mundial do Brasil, Rev. Marco Antonio Baptista Resende, realizou visita missionária a São Luís (MA), para celebrar os cinquenta anos de difusão no Maranhão.

Logo no primeiro dia, o presidente viajou até a cidade de Santa Rita, distante 77 quilômetros de São Luís, para visitar o Johrei Center, onde aproximadamente 100 fiéis o aguardavam. O Rev. Resende falou da importância de servir nas colunas de salvação. “Receber a Luz Divina, o Johrei, é muito importante para nossa vida e nossa saúde. É bom criarmos oportunidade para que outras pessoas também ministrem Johrei”, orientou.

Ao retornar a São Luís, visitou os Johrei Centers Cohab e Turu, e ficou feliz ao ver como os membros estão cuidando com amor e carinho da Obra Divina no Maranhão. “É muito importante a nossa postura de fé messiânica de procurar Deus e Meishu-Sama por meio da dedicação, da prática do Johrei, e puxar as pessoas que estão sofrendo, trazendo-as para junto de nós e ministrando-lhes Johrei”, enfatizou.

Já no dia 19, foi celebrado o Jubileu de Ouro, em comemoração dos cinquenta anos da fé messiânica no Maranhão. Neste dia, a Igreja São Luís realizou um encontro com os pioneiros na fé messiânica no Estado, com o objetivo de agradecer a dedicação, o empenho e o amor em levar a obra de Deus e Meishu-Sama às pessoas.

Para mostrar a difusão da fé messiânica e a crença no Johrei, três pioneiros relataram suas experiências de fé. A primeira, Ivonilde Anchieta Pereira, missionária do Johrei Center Maiobão, contou como foi seu crescimento espiritual na fé; a segunda, Amélia Francisca de Oliveira, atual responsável pela Agricultura Natural da Igreja São Luís, expôs como conheceu a Igreja Messiânica e as permissões que obteve em todos os setores de dedicação por que já passou.

A terceira e última experiência foi da ministra Maria Ozana dos Santos Cruz, que emocionou os participantes, ao narrar como teve a vida salva por meio do Johrei, da fé e da dedicação de membros, que, durante o processo de purificação, foram incansáveis na ministração do Johrei. “Estou muito feliz por participar desse momento, que, para mim, será inesquecível. Estou mais feliz ainda, porque Deus e Meishu-Sama me deram essa permissão de estar viva para contar a minha experiência e por meio dela mostrar o quão é importante ter fé”, contou.

Em 1971, a ministra descobriu que sofria de um grave problema cardíaco, e os médicos disseram que ela não poderia ter filhos e tão pouco deixar de tomar os remédios,  pois se ela deixasse de tomar um dos medicamentos por dois dias, iria a óbito. “O meu coração funcionava muito lentamente, não conseguindo bombear o sangue de forma normal para o corpo. Com isso, o sangue, que ficava acumulado, me causava desmaios súbitos, inchaço e muitas dores. Entretanto, recebendo Johrei durante seis meses, comecei a eliminar sangue pelos ouvidos, mamilos, olhos, boca e através de um orifício na cabeça. Nessa época, eu já tinha abandonado todos os remédios”, relatou. Emocionada, ela lembrou que tem seis filhos, sendo que três estão no Mundo Espiritual.

Após os relatos, o responsável pela Região Nordeste 1, reverendo Massao Tateyama, disse que a luz do Johrei no Maranhão é muito intensa e parabenizou os pioneiros pelas dedicações, pelo amor à Obra de Deus e Meishu-Sama, pedindo a todos que fortaleçam ainda mais a fé, para que ela possa ser propagada criando mais milagres na vida de muitas pessoas.

A senhora Yonri Quintilha, membro há 19 anos, disse estar muito feliz e grata a Deus e Meishu-Sama, por participar desse momento de comemoração. “Para mim, foi um momento único e essencial para meu crescimento na fé. Estou com o coração agradecido por participar deste evento e receber a preciosa orientação do nosso presidente, principalmente, quando ele orienta que precisamos puxar as pessoas que estão em sofrimento. Isso para mim é um grande desafio, pois não tenho essa coragem. Contudo, quero me empenhar para dedicar, servir à Obra Divina e seguir os passos de Meishu-Sama. Minha gratidão pelos pioneiros que tanto dedicaram para que hoje estivéssemos completando cinquenta anos de difusão no Maranhão. Só tenho a agradecer e muito”.

O presidente demonstrou sua felicidade ao ver tantos pioneiros reunidos, agradecendo e comemorando os cinquenta anos de difusão da fé messiânica no Maranhão e por fazer parte desta história. “Todos nós fomos criados por Deus e já somos pioneiros por natureza e, se Deus é maranhense, está resolvido o problema. Gostaria que todos lembrassem as histórias vividas no Estado, os desafios, porque realmente são muitos os desafios. Muitas coisas que ocorreram nos deixam cansados, preocupados e desanimados, mas eu acredito que com essa força dos pioneiros do Maranhão, não teremos problemas”, afirmou.

Para homenagear os reverendos e ministros que conduziram com fé, amor e gratidão a Obra Divina no Maranhão, o setor de Histórico da Igreja São Luís entregou placas comemorativas aos reverendos Marco Antonio Baptista Resende, Roberto Massao Tateyama, José Luiz da Cruz Santos, José Raymundo Costa Ferreira, Raimundo Eduardo Vasconcelos, Francisco Antonio Trianon de Souza, e aos ministros Laís Tinoco Guarçoni e Jorziel Silva Ferreira, e ainda, ao responsável da Secretaria de Histórico da Igreja no Brasil, ministro Luís Sérgio Ferreira.

À noite, foi realizado o culto em comemoração aos cinquenta anos, que reuniu cerca de quatro mil pessoas, entre membros, frequentadores e de primeira vez. Durante o culto, foram colocadas no altar, as “caixinhas das graças”, que continham pequenas experiências de fé vividas pelos messiânicos, que escreveram e colocaram suas experiências em uma caixa feita com embalagem de leite customizada, a fim de agradecer a Deus e Meishu-Sama, os cinquenta anos de fé e a proteção recebida.

Ainda no dia 19, os reverendos Massao Tateyama e José Luiz Santos se reuniram com os missionários que participaram do Intercâmbio da Fé, em que relataram as experiências vividas durante os três meses de dedicação. O intercâmbio é feito com os missionários que percorrerem o Maranhão em busca da salvação, ministrando Johrei, realizando hortas caseiras e entregando miniarranjos.

Para o responsável da Igreja São Luís, reverendo Francisco Antonio Trianon de Souza, trata-se de um momento para comemorar e agradecer a Deus os cinquenta anos de fé messiânica no Maranhão. “Deus e Meishu-Sama nos escolheram para realizarmos este encontro. Fico muito grato por estar aqui, como responsável, realizando este encontro. Quero, em primeiro lugar, agradecer ao nosso presidente por vir até o Maranhão. Também quero agradecer ao nosso responsável da Região Nordeste 1, Rev. Roberto Massao Tateyama, que, ao ouvir tantos milagres ocorridos no Estado, disse que precisamos cuidar desses tesouros e dar vida a eles”, disse, emocionado.

Início da Fé

A difusão no Maranhão iniciou em 1967, na cidade Colinas, distante 441 quilômetros da capital maranhense, com a chegada do doutor Elídio Guarçoni Filho, que havia sido transferido do Rio de Janeiro para trabalhar na cidade. Sua esposa, ministra Laís Tinoco Guarçoni, lembrou-se da época em que eles chegaram a Colinas e quando ministraram o primeiro Johrei, fazendo da sua casa um ponto de luz para receber e acolher as pessoas em estado de sofrimento.

Em 1973, a família Guarçoni se muda para São Luís, onde dá continuidade à expansão da Obra Divina no Maranhão. “O ministro Elídio tinha a preocupação de ser ‘chamado atenção’ pela medicina, porque ele não só consultava as pessoas, mas também, ministrava-lhes Johrei e as orientava. Ele enfrentou tudo para trazer a voz e o amor de Meishu-Sama para o Maranhão, porque este Estado é abençoado por Deus. Tudo isso começou onde? Em uma casinha humilde, em um quarto, com uma cama de casal e quatro cadeiras, começando a ministrar o Johrei”, lembrou a ministra Laís, emocionada.

Já em julho de 1979, o então ministro José Luiz da Cruz Santos, hoje reverendo, chega a São Luís. Após inúmeros milagres e, objetivando construir a sede definitiva da Igreja Messiânica em São Luís, o Min. José Luiz, com o apoio dos principais missionários, em 1984, conseguiu junto ao Governo de Estado a doação do atual terreno. Três anos depois, em meio a uma difusão ainda mais fortalecida pela construção, o então vice-presidente da Igreja, reverendo Tetsuo Watanabe, realiza, no dia 5 de setembro de 1987, o Culto de Entronização das Imagens de Deus e Meishu-Sama na Igreja Regional em São Luís, e, no dia 6, o Culto de Inauguração.

No ano final de 2015, a Igreja São Luís passa por uma reforma que se encerra em 2016, com os cultos de entronização e inauguração realizados nos dias 7 e 8 de setembro. E agora, em 2017, a Igreja São Luís comemora os cinquenta anos de fé e difusão messiânica no Maranhão.

Natália Reis e Sansão Hortegal 

Previous Image
Next Image

info heading

info content