Liturgia

 

Cultos

As celebrações litúrgicas da Igreja Messiânica são divididas em cultos diários, mensais e especiais.

Os cultos diários são realizados nos períodos da manhã e da noite, e denominados de “culto matinal” e “culto vesperal”, respectivamente. Eles são realizados em todas as unidades religiosas: Solo Sagrado, Centro de Aprimoramento e Johrei Center.

Em todos esses ofícios, os messiânicos, voltados para a Imagem do altar, agradecem as bênçãos e a proteção recebidas durante o dia que passou.

O culto mensal é chamado de “Culto Mensal de Agradecimento”. Nesta ocasião, os messiânicos oferecem a Deus sua sincera gratidão pelo mês que findou e renovam seus compromissos para o mês que se inicia. É celebrado no primeiro domingo do mês no Solo Sagrado e, posteriormente, nos Centros de Aprimoramento e Johrei Centers.

Além dos cultos mensais, são celebrados os cultos especiais, que compõem o calendário litúrgico da Igreja Messiânica, na seguinte cronologia: Ano-Novo e Fundação da IMM (janeiro), Paraíso Terrestre (junho), Agricultura Natural (agosto), Antepassados (novembro) e Natalício de Meishu-Sama (dezembro).

O significado de cada culto especial é explicado a seguir:

 

Culto do Ano-Novo e da Fundação da Igreja

No dia 1º de janeiro de 1935, Meishu-Sama instituiu a Igreja Messiânica Mundial na cidade de Tokyo, Japão. Neste dia, os messiânicos comemoram o culto do ano-novo juntamente com esta importante data. Inicia-se, para os messiânicos, uma vida nova em vários aspectos no que se refere à família, ao trabalho e ao servir à Obra Divina. É o dia em que os fiéis relatam a Deus seus objetivos e prometem esforçar-se ao máximo no transcorrer do ano que se inicia.

 

Culto do Paraíso Terrestre

No alvorecer do dia 15 de junho de 1931, Meishu-Sama subiu ao monte Nokoguiri no Japão e, voltado para a direção do Sol que começava a nascer, entoou a oração Amatsu-Norito. Posteriormente, explicitou-nos o significado da Revelação Divina que ocorrera naquele momento: a Transição da Noite para o Dia. A Luz, que começou a brilhar no mundo espiritual, iria refletir-se, pouco a pouco, no mundo material, dando início à construção do Paraíso Terrestre.

 

Culto de Agradecimento pela Agricultura Natural

Nesse culto, os messiânicos agradecem as bênçãos de Deus e da Natureza pela Agricultura Natural, que, segundo Meishu-Sama, é um método agrícola revelado por Deus.

O Mestre diz em seus Ensinamentos:

 “Em seu estado original, ela (a Grande Natureza) é a própria Verdade e por isso serve de modelo a todos os projetos do homem […] O Johrei, a Agricultura Natural e outros princípios preconizados por mim […] se baseiam na Lei da Natureza

 

Culto às Almas dos Antepassados

No Japão, este culto é realizado em 2 de julho e, no Brasil, em 2 de novembro. É o momento em que os messiânicos oferecem aos espíritos de seus antepassados e amigos orações de gratidão e amor. Nesse dia, a Luz enviada por Deus é muito intensa, correspondendo à atitude do grande número de fiéis que, unindo seus sentimentos, reúnem-se e sufragam seus ancestrais com toda a gratidão.

 

Culto do Natalício de Meishu-Sama

Meishu-Sama[1] nasceu em 23 de dezembro de 1882. Para os messiânicos, o Culto do Natalício de Meishu-Sama é a oportunidade em que não só prometem realizar a Obra Divina na Terra, mas também oferecem suas orações para que a Luz que ele transmite do céu seja derramada sobre toda a humanidade.



[1] O fundador Mokiti Okada é chamado por seus seguidores de Meishu-Sama (Senhor da Luz).