Mensagens
Igreja Messiânica Mundial do Brasil - junho, 2017

Mensagens importantes do Solo Sagrado do Japão

A todos os messiânicos

Após receber as palavras de Kyoshu-Sama no Culto do Início da Primavera, no último dia 4 de fevereiro, a Igreja Messiânica Mundial – Izunome –, esclareceu a todos os messiânicos, por meio da saudação do Presidente Masayoshi Kobayashi proferida no Culto Mensal de maio, o caminho que será traçado pela nossa Igreja de agora em diante.

Assim sendo, publicamos, a seguir, três textos: as palavras de Kyoshu-Sama proferidas no Culto do Início da Primavera; a saudação do Presidente Masayoshi Kobayashi por ocasião do Culto Mensal de maio e uma orientação dada pelo Reverendíssimo Tetsuo Watanabe em 2008.

A Igreja Messiânica Mundial do Brasil deseja assumir a postura da Sede Geral do Japão de querer caminhar unida ao sentimento de Kyoshu-Sama.

Assim, nós, messiânicos brasileiros, vamos herdar a mesma postura, a paixão e a determinação que o Reverendíssimo Tetsuo Watanabe sempre teve para seguir as palavras de Kyoshu-Sama

hi_0624

…………………….

Palavras de KyoshuSama
Culto de Início da Primavera em Atami
4 de fevereiro de 2017 – Templo Messiânico do Solo Sagrado de Atami

Felicitações a todos pela realização do Culto do Início da Primavera

Eu havia preparado a minha palestra para o Culto do Início da Primavera. Porém, hoje eu desejo muito transmitir uma mensagem a todos os messiânicos do Japão e de todo o mundo, ligados à Igreja Messiânica Mundial – Izunome. Peço desculpas por esta atitude súbita.

Eu sinto que o sistema institucional centralizado em Kyoshu (Líder Espiritual), ideal básico estabelecido na instituição da Igreja Messiânica Mundial – Izunome, foi descartado pelo Presidente Kobayashi e demais membros da direção, alguns dias antes da realização deste Culto do Início da Primavera.

Ao mencionar os membros da direção, estou me referindo ao Presidente Kobayashi e demais diretores da Sede Geral, ao reverendo Maeda e demais diretores da Expansão e aos conselheiros da Igreja Izunome.

A diretoria, que se encontra sob a responsabilidade do Presidente Kobayashi, rejeitou as palavras que eu estou transmitindo aos diretores.

Nesse momento, eu gostaria de me abster de mencionar a respeito dos detalhes dessa conversa e dos motivos que me fizeram chegar ao ponto de precisar me dirigir aos senhores hoje.

Possivelmente, os diretores, a começar pelo Presidente Kobayashi, devem dizer para os senhores que o objetivo das minhas palavras hoje é causar distúrbios na instituição. Talvez, minhas palavras e ações sejam utilizadas como base para criticarem a minha pessoa.

Também é possível que sejam feitas diversas explicações para os senhores em suas unidades religiosas.

Os diretores não reconhecem que rejeitaram o ideal básico de um sistema institucional centralizado no Líder Espiritual e, certamente, dirão aos senhores que está sendo elaborada uma nova estrutura de centralização no Líder Espiritual, com base na linha de pensamento da diretoria.

Entretanto, este não é o meu desejo.

Desejo que todos tomem cuidado para não serem iludidos por essas palavras ou ações. Atualmente, os senhores cantam a versão em japonês do ʺHino da Luz Divinaʺ após os cultos especiais no Solo Sagrado e em outras ocasiões.

Isso é algo que foi sugerido por mim, e eu também cantava junto com os senhores aqui na nave.

Contudo, a diretoria definiu que a partir deste Culto do Início da Primavera eu não poderei mais cantá‐lo na nave junto com os membros.

A partir de hoje, eu não posso mais cantar o Hino da Luz Divina na nave junto com todos os senhores.

Além disso, após os cultos, eu sempre apertava a mão dos senhores, escutava seus sentimentos e me encorajava com isso. Todavia, a diretoria decidiu que, a partir deste Culto do Início da Primavera, eu não poderei mais apertar a mão dos senhores. A partir de agora, exceto em ocasiões especiais, eu não poderei mais apertar a mão dos senhores.

Mesmo que os senhores estendam a mão para mim, eu não poderei mais cumprimentá‐los. Isso é algo que não tenho como me desculpar com todos os senhores.

Todas estas decisões foram tomadas pelos diretores em uma reunião geral da diretoria, realizada no dia 15 de janeiro, e me foram transmitidas no dia 24 de janeiro pelo Presidente Kobayashi.

Eu me importo do fundo do meu coração com todos os membros da Igreja Izunome.

Amo os senhores de todo meu coração.

Não poderei mais encontrar com os senhores de forma natural, conversar, sorrir ou compartilhar a mesma tristeza.

Isto é algo realmente triste, porém, esta decisão foi tomada pela diretoria da Igreja Izunome, que está sob orientação do Presidente Kobayashi.

Contudo, os senhores não têm com o que se preocupar.

Eu interpreto isto como algo necessário para que a Igreja Izunome e todos os senhores possam buscar Meishu‐Sama verdadeiramente.

Desejo do fundo do coração que a relação de confiança entre mim e a direção da Igreja Izunome seja restaurada o quanto antes.

Muito obrigado.

y2_8724

Presidente Kobayashi, junto com diretores executivos e diretores de expansão, apresenta  ……………………suas desculpas e seu compromisso para daqui em diante.

  

Saudação do Presidente Masayoshi Kobayashi
Culto Mensal de Agradecimento – Maio
Templo Messiânico, Solo Sagrado de Atami
1º de maio de 2017

 

Parabéns pelo Culto Mensal de Agradecimento do mês de maio.

Após o Culto do Início da Primavera, nós, membros da direção, causamos uma grandiosa preocupação em todos os messiânicos com relação ao futuro da nossa igreja. Apesar disso, não apresentamos uma prática concreta desde então.

Hoje, peço licença para usar este local e me desculpar com relação a isso, além de relatar aqui as práticas que serão feitas pelos diretores de agora em diante.

No Culto do Início da Primavera deste ano, Kyoshu-Sama disse que a direção da nossa Igreja havia determinado que, a partir desse culto, ele não poderia mais cantar a versão em japonês do Hino da Luz Divina na nave com os membros e, exceto em ocasiões especiais, não poderia mais apertar a mão dos fiéis. Essa decisão por parte dos diretores é um fato verídico.

A direção sequer consultou o sentimento de Kyoshu-Sama, tomando assim, uma decisão unilateral.

Nós, diretores, acabamos estipulando inúmeras razões para impedir o intercâmbio de Kyoshu-Sama com os membros e tínhamos o sentimento de afastá-lo dos senhores.

Kyoshu-Sama está buscando Meishu-Sama através do contato com os messiânicos. Apesar disso, tomamos essa decisão e, por isso, pedimos nossas mais sinceras desculpas por esse ocorrido e informando aqui também que essa decisão foi totalmente revogada.

A Igreja Messiânica Mundial – Izunome, desde a purificação da nossa igreja, objetivou o estabelecimento de um sistema centralizado no Líder Espiritual, Kyoshu-Sama. Neste ínterim, os diretores da nossa igreja elaboraram em novembro de 2006, centralizados no Reverendíssimo Tetsuo Watanabe, o texto intitulado: “Considerações sobre o que precisa ser refletido e corrigido?”. Por intermédio desse texto, relatamos a Kyoshu-Sama e, consequentemente, a Meishu-Sama, qual é o princípio básico da Igreja Messiânica Mundial – Izunome.

Sendo assim, o que levou os diretores da nossa igreja a seguir até hoje alicerçada no estabelecimento de um sistema centralizado no Líder Espiritual? Isso foi motivado pela seguinte reflexão, registrada neste texto elaborado em 2006:

“Havia certa discordância no sentimento que possuíamos sobre o ‘Trono de Kyoshu’, tendo-o como ‘o trono que herda a sagrada obra de Meishu-Sama’, além das práticas que nascem por meio dele. Isto é a reflexão que devemos ter sobre os fatos que existiram no passado da nossa igreja, como ter tratado o Líder Espiritual, Kyoshu-Sama, apenas como um símbolo e a tendência de ter a direção como centro administrativo”.

Com base nessa reflexão, foi tomada a seguinte decisão, registrada no mesmo texto:

“Relataremos os fatos como eles se apresentam para Kyoshu-Sama, confirmando se nossos pensamentos e atitudes estão corretas. Além disso, receber orientação no sentido de conferir se isso corresponde ao sentimento do Líder Espiritual, Kyoshu-Sama e, por conseguinte, ao sentimento de Meishu-Sama. Todos os diretores, a começar pelo seu presidente, desejam igualmente seguir em frente através dessa confirmação”.

Além do mais, fizemos o seguinte juramento:

“Com base no pensamento de que o sentimento de Meishu-Sama nos será transmitido por meio do desejo e da vontade do Líder Espiritual, Kyoshu-Sama, todos os diretores assumem a decisão de seguir em frente, corrigir o próprio sonen, realizar uma administração totalmente coerente ao sentimento do Líder Espiritual, Kyoshu-Sama e seguir pelo caminho da prática da fé”.

Entretanto, apesar de termos feito esse juramento, afirmamos que é difícil entender as palavras de Kyoshu-Sama; que elas diferem dos Ensinamentos; que a igreja não expandirá se seguirmos suas orientações e que ele está intervindo na administração da igreja. Oficialmente, enfatizávamos o sistema centralizado em Kyoshu-Sama, mas, na prática, colocamos a direção no centro da administração e compreendíamos os Ensinamentos à nossa maneira. Dessa forma, acabamos nos afastando totalmente do princípio básico idealizado pela nossa igreja.

Portanto, as minhas palavras nos cultos eram completamente diferentes das palavras de Kyoshu-Sama. Isso foi um grande erro da minha parte.

Eis o significado do princípio básico da nossa igreja, ou seja, do sistema de centralização em Kyoshu-Sama: “O sentimento de Meishu-Sama nos será transmitido por meio do desejo e da vontade do Líder Espiritual, Kyoshu-Sama”.

Para a Igreja Messiânica Mundial – Izunome, este princípio é algo que deve ser eternamente herdado pelas próximas gerações. Assim, renovamos hoje essa decisão.

Todavia, eu me esqueci do espírito de “centralizar em Kyoshu-Sama” e acabei negligenciando-o. Por isso, peço perdão a todos os messiânicos e também a Kyoshu-Sama. Peço minhas sinceras desculpas.

Apresentaremos aos senhores a prova dessa decisão e pedido de perdão na prática. Concretamente falando, será realizada uma drástica revisão do conteúdo das saudações nos cultos, das publicações e dos aprimoramentos, fazendo com que todos estejam dentro do ideal básico da nossa igreja.

A partir de agora, dedicarei a minha própria fé, sem me esquecer desse ideal básico, e terei como ponto-chave o que está firmado na diretriz de expansão para o ano de 2017: “Despertar para uma fé completamente nova, em nome do Messias, que é uno a Meishu-Sama”. Além disso, quero me empenhar com os messiânicos do mundo inteiro no estudo das palavras de Kyoshu-Sama, buscar e praticar o seu sentimento, para que possamos “compreender a essência dos Ensinamentos através das palavras de Kyoshu-Sama”. Seguirei em frente com meu coração em união com Kyoshu-Sama.

Reafirmo este compromisso perante Deus, Meishu-Sama e Kyoshu-Sama.

Desejo de todo o meu coração que, apesar de nossas imperfeições, todos os messiânicos possam compreender a decisão e a reflexão de todos os diretores.

A partir de agora, todos os messiânicos no Japão e no mundo inteiro se empenharão para caminhar numa etapa completamente nova, sob as orientações de Kyoshu-Sama.

Peço a colaboração e o apoio de todos os senhores perante este novo ponto de partida que se inicia hoje para a direção da nossa igreja.

Muito obrigado.

 

 

 

Orientação do Reverendíssimo Tetsuo Watanabe
Templo Messiânico – Atami, Japão
10 de fevereiro de 2008

revmo Watanabe

….Reveredíssimo Tetsuo Watanabe

Boa tarde a todos! Estão passando bem?

“A verdadeira unificação começa na centralização no sentimento de Kyoshu- Sama”

O desejo de Kyoshu-Sama é: “A partir de agora, quero desenvolver a Sagrada Obra de Deus em conformidade com a Lei Espírito Precede a Matéria”. Como podemos assimilar esse desejo como sendo o nosso desejo? Eu acredito que a verdadeira unificação nascerá quando nos tornarmos um “único corpo” com Kyoshu- Sama, aceitando que o Trono de Kyoshu herda a Sagrada Obra de Meishu-Sama, fazendo do sentimento e do desejo de Kyoshu-Sama, nossos sentimentos e desejos.

Antigamente, todos estavam “unidos a Meishu-Sama”. Mesmo aqueles que se tornaram dissidentes da nossa Igreja, estavam unidos a ele. Na última purificação da Igreja, cada grupo sentia ou acreditava que estava unido a Meishu-Sama, mas na prática, era cada um agindo conforme a conveniência… É fácil qualquer um dizer: “Estou unido a Meishu-Sama”, “Estou centralizado em Meishu-Sama”. Afinal, ninguém vai ouvir Meishu-Sama contestar, dizendo: “Você ainda não está unido a mim…” Por esse motivo, cada grupo interpretava conforme o próprio interesse, e afirmava: “Somos nós que estamos certos, certamente somos nós…” e assim surgiram grupos que igualmente se achavam certos, nascendo assim os conflitos.

Eu também sei sobre a antiga unificação (NT. Ocorrida na década de 1970). Naquela época, por que surgiram tantas igrejas dissidentes? É porque aqueles que resolveram nos deixar, achavam que Kyoshu-Sama não era necessário. Eles se desligaram da nossa Igreja, e cada um se tornou um “Kyoshu-Sama”. Mas será que Kyoshu-Sama queria que eles fossem embora dessa maneira? Logicamente que não! Mesmo assim, muitos se foram e se denominaram “Kyoshu”.

Depois disso, vivemos a grande “purificação da Igreja”, que se arrastou por vinte anos. O que originou essa purificação? Se pensarmos bem, vamos perceber que, mesmo Kyoshu-Sama estando presente, era como se ela não estivesse lá. É porque não a posicionaram no centro. Assim, cada grupo tinha sua interpretação e achava que a sua é que era a certa e, por isso, nasceram os conflitos.

“Estudar as palavras de Kyoshu-Sama e praticá-las, para receber graças”

Nós, da Igreja Izunome, viemos defendendo que queríamos consolidar um sistema de Obra Divina centralizado em Kyoshu-Sama. Assim, atualmente Kyoshu- Sama vem, com muito carinho, nos contemplando com suas orientações, de forma bem detalhada. Nós estamos desenvolvendo uma Obra Divina em que estudamos cada uma dessas orientações, empenhando-nos para tentar compreendê-las. Depois que passamos a praticá-las, surgem as graças, que são transmitidas às pessoas como manifestações de Meishu-Sama.

Esta verdadeira unificação, ou seja, a necessidade de unificarmos o mais depressa possível, já está se espalhando por todos os cantos…, mas será que, dentro de cada um de nós, já conseguimos verdadeiramente fazer do sentimento e do desejo de Kyoshu-Sama, como nossos sentimentos e desejos? Eu acredito que ainda não…

Muitas pessoas dizem: “Se conseguirmos ficar unidos a Meishu-Sama, conseguiremos nos unir ao sentimento e desejo de Kyoshu-Sama”. Eu não digo assim. O que eu tenho dito é o seguinte: “Se nós conseguirmos nos unir ao sentimento de Kyoshu-Sama, se fizermos de seu desejo, o nosso desejo, teremos a permissão de nos unir a Meishu-Sama”. Para muitos, estas duas formas de falar parecem iguais, não é?

Contudo, para mim, existe uma grande diferença entre: “Basta estudar os Ensinamentos de Meishu-Sama e olhar seus feitos, que vamos nos unir ao sentimento de Kyoshu-Sama” e “Se compreendermos o desejo de Kyoshu-Sama, unindo-nos ao seu sentimento, seremos agraciados com o caminho para nos unir a Meishu-Sama”.

O que os senhores acham? É a mesma coisa? Não é, né… então, qual deles é o certo? Quem acha que o certo é: “Se nos unirmos a Meishu-Sama, estudando seus Ensinamentos e tudo o que ele fez, conseguiremos nos unir ao sentimento de Kyoshu- Sama”, pode levantar a mão?

E quem acha que o certo é: “Se nos unirmos ao sentimento de Kyoshu-Sama, fazendo do desejo de Kyoshu-Sama, o nosso desejo, conseguiremos merecer nos unir a Meishu-Sama”, pode levantar a mão? Obrigado!

Eu também acho isso! Como Kyoshu-Sama está no centro do Plano Divino desenvolvido neste mundo material, ele vai dizer claramente as coisas. Se consultarmos Kyoshu-Sama: “O que o senhor acha? Será que está errado?” Kyoshu- Sama vai responder: “É… aquilo está errado!” E se perguntarmos: “O senhor acha que já estamos unidos?” Ele vai responder: “Ainda não…” Mesmo que façamos essas perguntas a Meishu-Sama, não vamos ouvir a voz dele. Logo, o centro do Plano Divino desenvolvido neste mundo material é Kyoshu-Sama! Não quer dizer que vamos “endeusar” Kyoshu-Sama… Nada disso! É a atuação do Trono de Kyoshu. E qual é essa atuação? Acho que os senhores já devem saber, não é?

Dentro de suas orientações Kyoshu-Sama vem nos explicando que o ser humano depende de seu sonen, ou seja, esclarece a importância do sonen. É importante o que fazemos, mas, mais importante ainda, é com que sentimento estamos fazendo. No futuro, vai chegar uma época em que a humanidade vai pesquisar a respeito do sonen.

Ele disse também que todos nós somos representantes de Deus que receberam a partícula divina e que somos a soma de incontáveis antepassados. Kyoshu-Sama veio nos explicando tudo isso com muito carinho, de forma bem detalhada e, graças a isso, pela primeira vez, conseguimos entender muitas coisas. Até então, acho que não tinha pensado seriamente em entender esses temas, em acreditar dessa forma. Eu não sei quanto aos senhores, mas eu era assim. Nas aulas de iniciação, eu falava desse jeito, mas talvez da boca para fora. Será que realmente somos representantes de Deus que receberam a partícula divina? No caso de Meishu-Sama, talvez ele fosse mesmo, mas nós também? Será que, antes, muitos não pensavam assim? Eu pensava assim… Isso é importante! Se não entendermos isso, não entenderemos também a visão sobre o Messias da Igreja Messiânica, explicado por Kyoshu-Sama. Eu acredito que, quanto mais estudarmos as palavras de Kyoshu-Sama, mais aprofundaremos nosso entendimento sobre os Ensinamentos de Meishu-Sama e alcançaremos um nível de fé cada vez mais elevado.

Muitas pessoas dizem que a Purificação da Igreja se deu porque muitos só ouviam levianamente os Ensinamentos de Meishu-Sama. Se os tivessem estudado com seriedade e profundidade, nada daquilo teria ocorrido. Por isso, era motivo de reflexão… foi isso o que disseram. Eu pergunto: como vamos compreender profundamente os Ensinamentos de Meishu-Sama? Eu acredito que é somente quando estudarmos as palavras de Kyoshu-Sama, que entenderemos com profundidade os Ensinamentos. É por eu ter essa certeza que hoje estou aqui falando com os senhores.

Quando se está estudando as orientações de Kyoshu-Sama, será que não aparece algo como: “Ah, então isso tinha esse significado?” Será que quando entoarmos os salmos de Meishu-Sama, não vamos perceber neles algum sentimento, algum desejo que está contido neles, que até hoje não tínhamos percebido? Eu acho que sim…

“Consolidar a visão de Messias da Igreja Messiânica Mundial”

Quando faço reuniões, eu tenho sugerido: “Vamos praticar verdadeiramente uma fé que se liga ao Messias Meishu-Sama?”, “Vamos consolidar uma visão de Messias da Igreja Messiânica?”, “Não é uma visão de Messias do Judaísmo, nem do Cristianismo, nem do Islamismo… Vamos consolidar uma visão de Messias da Igreja Messiânica!” E todos unanimemente têm se empenhado nisso.

Estamos estudando com muito esmero e, depois, vamos submeter a Kyoshu- Sama, até ganharmos dele a confirmação: “Isso mesmo! Esta é a visão de Messias da Igreja Messiânica!”

Não pode haver diferenças entre aquilo que apresentamos à sociedade e o que acreditamos. Não pode haver “frente e verso”, nem “o que eu falo é uma coisa, mas o que eu penso é outra”…Nossos estudos estão indo na direção de consolidar uma visão de Messias que, tanto o que for explicado aos outros, como o que nós acreditamos, sejam a mesma coisa. Devemos apresentar aquilo que acreditamos. Quando finalizarmos esse estudo, quero apresentá-lo a Kyoshu-Sama, e se ele disser: “É isso mesmo! Vamos usar isso!”, quero divulgar a todos os senhores, no devido formato, para que os membros passem a acreditar nisso, e depois, difundir no mundo inteiro. Este é o meu plano.

Eu quero me empenhar voltado para o grande objetivo, que é a verdadeira unificação, que certamente vamos alcançar.

Gostaria de fazer um pedido aos senhores. Desde o ano passado, em cada região, em cada área, tenho pedido a todos os ministros, integrantes e dedicantes para estudarem, juntos, as palavras de Kyoshu-Sama e praticá-las. Peço também que, quando receberem graças, levem-nas às reuniões e as compartilhem com outros ministros. Gostaria que, por meio dessas graças recebidas, pudessem perceber e apreender o desejo de Meishu-Sama, o desejo de Kyoshu-Sama.

Se você estudar sozinho, há limites. Tempos atrás, pedi aos funcionários dos setores internos da Sede Geral e das empresas coligadas para fazerem esse estudo. Em conjunto, todos deveriam discutir o que perceberam, o que aprenderam, como praticaram, e quais graças receberam. Hoje, eu percebo que o estudo em grupo fez com que todos crescessem, e os próprios setores também evoluíram. Se o estudo fosse individualizado, o resultado também ficaria “espalhado”…

Assim sendo, peço aos senhores que, a partir de agora, se empenhem seriamente em compreender e praticar as palavras de Kyoshu-Sama. Se não entenderem, pensem e repensem… ouçam as graças recebidas dos colegas, aprendam com isso! Digam: “Ah, então é isso? Eu não tinha entendido assim… realmente você está certo…” e façam o compromisso de praticar. E quando receberem uma graça, compartilhem com os colegas: “Olhem, eu alcancei esse resultado! Estou muito feliz!”

Estudando dessa forma, espero que apareça em cada área um representante que possa dizer: “Eu estudei as palavras de Kyoshu-Sama e aprendi isso, fiz essa prática, consegui essa graça… e os senhores, que graças receberam?” É isso que espero dos estudos em conjunto. Como todos já estão focados em estudar as palavras de Kyoshu-Sama, vão conseguir! Até agora, talvez era um pouco diferente… há quem dizia: “Mais do que as palavras de Kyoshu-Sama, temos que estudar os Ensinamentos de Meishu-Sama e olhar os seus feitos”, ou ainda “Nós, da Igreja Izunome, já estamos percebendo e fazendo as reflexões…”

Entretanto, para chegarmos ao ponto de fazermos reuniões em que todos possam discutir concretamente sobre o quê e como percebemos, o quê e como fazemos as reflexões, como estamos colocando em prática e quais graças foram recebidas, cada um dos senhores precisa praticar as palavras de Kyoshu-Sama.

Quem está praticando e já recebeu alguma graça, pode levantar a mão? Quero que aqueles que já receberam graças, participem dessas reuniões e as compartilhem com bastante orgulho.

Eu gostaria de criar em todo o país, um ambiente espiritual em que as pessoas que praticam as palavras de Kyoshu-Sama possam compartilhar dinamicamente suas graças e o que aprenderam com essas práticas. Ou seja, criar um novo ambiente espiritual. Eu acredito que esse seja o caminho que levará nossa Igreja à unificação do ponto de vista da fé. Senhores, vamos praticar? Este é o meu único desejo.