Experiência de Fé do Culto

Rosana de Fátima da Silva – Junho 2017

Igreja Messiânica Mundial do Brasil - junho, 2017

Culto do Paraíso Terrestre
Solo Sagrado de Guarapiranga
15 de junho de 2017

Bom-dia a todos!

Sou membro da Igreja Messiânica há dezesseis anos e dedico no Johrei Center São Roque, ligado à Igreja Pinheiros – São Paulo.

Hoje, gostaria de compartilhar com todos as transformações ocorridas no meu sentimento e principalmente na minha postura em relação a preparação para este culto do Paraíso Terrestre.

No final do mês de Abril, tive uma entrevista com o ministro responsável pelo Johrei Center e ele me orientou sobre a importância da preparação para o Culto do Paraíso Terrestre.

Nessa entrevista, ele leu o formulário que recebemos todo ano para colocarmos os nomes das pessoas que objetivamos conduzir a Obra Divina, ressaltando o trecho do hino da Luz Divina onde está escrito: “Cada qual somar deve mais um”.

Assim que acabou de ler, fez uma pergunta que me tocou profundamente: “quantas pessoas você teve a permissão de encaminhar nesses 16 anos de fé messiânica? ”.

Aquela pergunta mexeu tanto comigo que na hora nem soube o que responder. No fundo, me senti muito envergonhada, pois meu último encaminhamento foi há dez anos.

Saí daquela entrevista diferente e disposta a realmente somar mais um nessa maravilhosa Obra até o Culto do Paraíso.

Fiquei pensando em toda a situação, e veio um pensamento que persistia em minha mente:  “você tem uma pessoa para encaminhar, e ela está pronta”.

Em todos esses anos de fé messiânica, sempre coloco alguns nomes no meu formulário, e um deles é do meu genro, único em meu lar que ainda não era messiânico.

Porém, refleti que vim participando desse culto, preenchendo o formulário de maneira muito automática, sem colocar sentimento e assumir de verdade o compromisso que assumimos com Deus e Meishu-Sama.

Além disso, o ministro me orientou a buscar todos os dias, ver um ponto positivo e agradecer, por mais simples que eu achasse, pois esse sentimento é importante para nos ligarmos com Deus.

Assim, comecei essa prática e ao preencher meu formulário do Paraiso Terrestre neste ano, o fiz com um sentimento diferente dos outros anos. Escrevi cada nome, mentalizando os antepassados de cada um e assumindo o compromisso de me colocar à disposição para faze-los felizes.

Escrevi dez nomes de pessoas que, dessa vez iria me comprometer a encaminhar e coloquei novamente o nome de meu genro, porém sem o apego de antes.

Passei a me empenhar na pratica do Johrei em meus plantões diariamente no Johrei Center, a fazer oração para todos do meu formulário e todas as quintas-feiras abria as portas do meu lar para realizar reunião de Johrei.

Nesse período, meu genro foi acometido de uma forte crise de bronquite. Como estava firme na pratica de ver o lado positivo de cada situação, agradeci a Deus e a Meishu-Sama, pois por meio dessa purificação, surgia a oportunidade de ministrar-lhe Johrei.

Comecei a ministrar e um dia após receber Johrei, ele falou para mim que precisava estar mais próximo de Deus. Naquele momento, senti que ele reconheceu a Luz do Johrei e começou a despertar.

Então sugeri para ele ir conversar com o ministro. No Culto Mensal de Agradecimento do mês de Maio, ele foi até o Johrei Center acompanhando de minha filha. Nesse dia, após o culto, o ministro foi ao seu encontro e o chamou para conversar.

Na conversa o ministro lhe disse para pensar na possibilidade de fazer, na pratica, as pessoas felizes por intermédio do sagrado Johrei que ele já conhecia e tinha consciência de sua atuação.

Então, ele tomou a decisão de iniciar as aulas de primeiras noções messiânicas e no dia 27 de maio deste ano, teve a permissão de se outorgar recebendo o Ohikari (Medalha da Luz Divina).

Desde então, está firme na ministração do Johrei e hoje ele e minha filha estão mais unidos, felizes servindo a Obra Divina e formando um verdadeiro Lar de Luz.

Agora consigo sentir e entender a importância de colocarmos verdadeiro sentimento e compromisso em tudo que fazemos principalmente quando preenchemos os formulários dos cultos especiais.

Entendi que graças a minha dedicação sincera, oração diária e, principalmente, minha atitude mental (sonen) eu consegui ser instrumento no encaminhamento do meu genro através do Messias Meishu-Sama. Com o coração repleto de alegria, materializei meu donativo de gratidão.

Hoje, estar aqui relatando essa experiência e tendo minha filha e meu genro, agora messiânico participando juntos do Culto do Paraíso Terrestre é uma emoção que não tenho como descrever.

Meu compromisso é continuar acompanhando as pessoas que coloquei no meu formulário até elas também ganharem a permissão de se tornarem instrumentos úteis a Deus e Meishu-Sama.

Feliz dia do Paraíso a todos e muito obrigada.