Experiência de Fé do Culto

Carlos Alexandre França Pinto da Silva – Maio 2018

Igreja Messiânica Mundial do Brasil - maio, 2018

Culto Mensal de Agradecimento
Solo Sagrado de Guarapiranga
1º de maio de 2018

Bom-dia a todos!

Sou messiânico há dezenove anos e dedico no Johrei Center São João de Meriti, ligado à Igreja Nova Iguaçu.

A experiência que irei relatar é sobre como a obediência às orientações e o empenho sincero nas dedicações abriram as portas para a mudança de meu destino.

Em maio do ano passado, inesperadamente fui demitido. Confesso que fiquei muito apreensivo, pois moro com minha mãe e um irmão especial e ajudo com a maior parte das despesas da casa.

No mesmo dia, fui ao Johrei Center buscar orientação com a ministra responsável, pois não compreendia por que aquele quadro de desemprego estava ocorrendo em minha vida, uma vez que, aparentemente, nada de errado acontecera no trabalho e sempre procurei cumprir com as dedicações da melhor maneira possível. Sentia-me como se estivesse sendo castigado sem saber o motivo.

Durante a conversa, a ministra me perguntou se eu realmente acreditava que Meishu-Sama estava no comando de tudo e se estava disposto a me desafiar para mudar definitivamente minha vida. Respondi que sim às suas indagações e, então, ela disse para eu aproveitar este período em que estaria de “férias forçadas”, para servir a Meishu-Sama em período integral.

Orientou-me a dedicar no Johrei Center o dia inteiro, estando sempre atento e prestativo e aproveitando as oportunidades para servir. Assim, eu acumularia méritos para a elevação dos meus antepassados e a mudança do meu destino.

A partir de então, passei a dedicar diariamente no Johrei Center. Ministrava Johrei na nave, fazia oração, leitura de ensinamentos, dedicação de limpeza, prestava assistência religiosa, e o que mais fosse necessário.

Nesse período, meu pai teve uma intensa purificação. Começou a sentir fortes dores abdominais e precisou ser submetido a uma cirurgia de emergência para retirada da vesícula. Após a cirurgia, contraiu uma grave infecção e precisou ser internado na UTI.

A relação com meu pai sempre foi um tanto fria e distante, eu não conseguia ter gratidão por ele e nutria uma mágoa muito grande.

Meu pai se separou de minha mãe quando eu tinha dez anos e percebia que não havia recebido dele a devida atenção quando eu era criança e adolescente. Julgava que poderia ter feito muito mais por mim, o que me causava uma frustração que me acompanhou durante a vida.

Ao vê-lo naquele estado, senti-me na obrigação de dar-lhe assistência religiosa diária no hospital.

Eu me perguntava o porquê de estar passando por aquelas purificações, tendo que cuidar de meu pai depois de tanto tempo. Sem falar na questão do desemprego, que também me incomodava muito.

Na verdade, ainda não estava entendendo a vontade de Deus por trás daqueles acontecimentos e, mais uma vez, fui conversar com a ministra.

Seguindo sua orientação, passei a dar assistência a meu pai, com o sentimento sincero de levar-lhe a luz de Meishu-Sama. Fazia também oração, entregando a Deus os sentimentos negativos que vinha nutrindo por ele durante anos, como falta de amor, julgamento e ingratidão.

Com o recebimento diário de Johrei, a recuperação de meu pai surpreendeu a todos, contrariando a expectativa dos médicos, que não acreditavam mais em seu restabelecimento.

Ao ser transferido para a enfermaria, passei a acompanhá-lo dia e noite, ministrando-lhe Johrei e cuidando dele. Aproveitava o momento para dedicar e ministrava Johrei também aos seus companheiros de quarto.

Durante o período em que meu pai esteve em coma na UTI, comecei a ter medo de perdê-lo, acreditando que ele poderia partir para o Mundo Espiritual a qualquer momento.

Dessa forma, percebi que meu sentimento no que dizia respeito a ele, estava começando a se transformar e, com o decorrer daquele período de purificação, passei a agradecer pela sua existência em minha vida e a nutrir verdadeiro amor por ele.

Compreendi, então, a Vontade Divina por trás daquela situação. Na verdade, aquela purificação não era um castigo, mas uma grande graça. Deus estava me dando a oportunidade de eu mudar meus sentimentos em relação a meu pai e resgatar através do servir os anos em que nos mantivemos afastados, em que o julgava e o culpava por não ser o pai que achava que eu merecia.

Quando percebi, estava agradecendo por estar desempregado e poder cuidar de meu pai em período integral.

Após a alta hospitalar, ele foi morar com minha avó e passei a dar-lhe assistência em casa, ajudando-o em seus cuidados, até que ele ganhasse forças e autonomia para desenvolver, sozinho, suas atividades básicas.

Passados aproximadamente dois meses, recebi um telefonema de uma empresa em que havia feito uma entrevista de emprego há algum tempo, informando que a vaga para a qual me candidatara já tinha sido preenchida, mais que havia uma para um cargo acima do nível que eu almejava, e se era do meu interesse.

Mal podia acreditar no que estava ouvindo e aceitei a proposta de imediato, começando a trabalhar na semana seguinte. Estou me saindo muito bem no novo emprego e já tive a oportunidade de falar sobre a Igreja Messiânica a dois colegas.

A saúde de meu pai está muito melhor e continuo ministrando-lhe Johrei sempre que o visito.

Nosso relacionamento hoje é de carinho mútuo, harmonia e cumplicidade.

Diante de tudo o que me ocorreu, entendi que através do meu servir e entrega incondicional a Deus, ganhei a permissão de mudar meu sentimento e ter minha vida transformada.

Agradeço a Deus, a Meishu-Sama e a meus antepassados por me mostrarem a direção; à ministra que, com paciência, me ouvia e dava apoio nos momentos difíceis; à minha família por acreditar e confiar em mim. E a meu pai, que foi o grande instrumento para eu hoje estar aqui compartilhando este milagre em minha vida.

Obrigado!