Experiência de Fé - Leitura Diária

Nadja Patrícia de Rossi – Igreja Mato Grosso do Sul – JC Ponta Porã – MS

Aline Zille - outubro, 2018

No fim de maio deste ano, estava vivendo o pior momento da minha vida.

Havia acabado de sofrer um aborto espontâneo de uma gravidez muito desejada; não me senti apoiada, o que acarretou o término do relacionamento com meu companheiro.

Sentia-me sozinha e desamparada. Eu, que sempre fui uma pessoa alegre e extrovertida, passei a viver um quadro de início de depressão, em que procurava me isolar, pois não queria que ninguém soubesse da minha real situação.

Afora esses problemas, preocupava-me com minha filha de dez anos de idade, que sofre de uma síndrome que a torna muito agitada, agressiva, e a faz evitar o contato com as pessoas. Ela também era acometida de crises convulsivas mensais.

Em meio a essas circunstâncias, encontrei-me com uma amiga messiânica, a quem relatei o que estava vivendo. Sem hesitar, ela me convidou para conhecer o Johrei, dizendo que me faria muito bem.
Aceitei o convite, mesmo desconfiada e não acreditando que uma simples oração mudaria o que eu estava sentindo. Contudo, ao término do primeiro Johrei, me sentia bem melhor e, após uma conversa com o ministro, fui orientada a receber Johrei durante 10 dias consecutivos.

Aceitei o desafio e me sentia muito bem quando estava no Johrei Center, onde ficava em média seis horas por dia, com minha filha, que me acompanhava nas dedicações. Participávamos dos cultos diários, fazíamos dedicação de limpeza recebíamos Johrei.

Com menos de uma semana, dei-me conta de que não sentia mais aquela tristeza e angústia que eu achava que nunca iria passar.

Graças ao recebimento constante de Johrei, minha filha começou a mostrar melhoras gradativas. Não apresentou mais as crises convulsivas, passou a ser mais equilibrada emocionalmente, menos agressiva, e a se relacionar melhor e conversar com as pessoas, o que antes só fazia comigo.

Com todas essas transformações, tomei a decisão de ingressar na Obra Divina e tive a permissão de receber a Medalha da Luz Divina (Ohikari).

Percebendo minha mudança, várias pessoas me perguntavam o que eu estava fazendo. Dessa forma, tive a oportunidade de encaminhar três pessoas para receber Johrei, as quais continuo acompanhando.

Sou imensamente agradecida a Deus e ao Messias Meishu-Sama, pois hoje tenho a convicção de que o sofrimento que existia em minha vida ficou para trás e que teve início uma nova caminhada.

Meu desejo, de agora para frente, é tornar-me cada vez mais útil como instrumento para fazer as pessoas felizes.

Muito obrigada.