Palestra do Culto

Culto Mensal de Agradecimento – Outubro 2018

Igreja Messiânica Mundial do Brasil - outubro, 2018

Culto Mensal de Agradecimento
Solo Sagrado de Guarapiranga
06 de outubro de 2018

Bom-dia a todos!

Os senhores estão passando bem?

Vamos enviar também um caloroso bom-dia a todos que estão nos assistindo pela Izunome.Tv?

Primeiramente, agradeço a Deus e a Meishu-Sama a permissão de servir à Obra Divina e de realizar este Culto Mensal de Agradecimento com todos os senhores.

Puxa, chegamos ao décimo mês do ano! Outubro é realmente um mês muito peculiar, não acham?

Dentre outras datas especiais, comemoramos o dia da padroeira do Brasil, Nossa Senhora Aparecida, o Dia dos Professores e o Dia das Crianças.

Cada local tem um padroeiro, não é verdade?

Meishu-Sama nos ensina que essas divindades receberam de Deus a missão de proteger e cuidar das pessoas ligadas àquele local.

Como o objetivo de Deus é a construção do Paraíso Terrestre, é natural que elas, no cumprimento de sua missão, se empenhem para que este objetivo Divino seja concretizado.

Nesse sentido, acredito que, se nos dirigirmos aos padroeiros, apresentando-nos como instrumentos de Meishu-Sama, enviados para servir na obra de salvação daquele local, tenho certeza de que eles, ficarão muito felizes e nos concederão toda a proteção necessária para cumprirmos a nossa missão.

Nossa Senhora, muito obrigado por tudo e, por favor, conte conosco! Conte com os messiânicos para concretizar no Brasil o Paraíso Terrestre!

E por falar em Paraíso Terrestre, não podemos nos esquecer da importante missão dos professores na educação e na formação cultural da sociedade.

E tudo isso começa pela educação e formação das crianças.

No ensinamento “Religião é Milagre”, que ouvimos há pouco, Meishu-Sama afirma:

“[…] é muito preocupante o aumento do mal social, em especial, o fato de a camada jovem − sustentáculo do futuro do país −, encontrar-se totalmente confusa, tomada por ideologias nocivas.”

Meishu-Sama nos aponta a causa disso: “ela resulta da educação que tem o pensamento materialista como regra de ouro.”

Para resolver esse problema, Meishu-Sama nos ensina que: “É preciso avivar o sentimento religioso no ser humano.

Para isso, […] o fundamental é fazer reconhecer a existência invisível de Deus. E o milagre é o único meio para tal.”

Por isso, é fundamental que os pais e os professores busquem o caminho da espiritualidade, inspirando as crianças a fazerem o mesmo.

Professores e crianças, parabéns pelo seu dia!

Bem, voltando a falar sobre os milagres, no mesmo ensinamento, tem outra passagem muito interessante:

“Milagre, […] significa o aparecimento de graças inesperadas.

Estas despertam um sentimento religioso no fundo do coração da pessoa que ingressa na fé e se salva da infelicidade.”

Todos nós, quando chegamos à Igreja pela primeira vez, estávamos em busca de algo, não é?

Como cada de um nós chegou à Igreja? Os senhores se lembram desse momento?

Como estava a vida dos senhores? O que estavam buscando? Quem se lembra, pode levantar a mão por favor?

E, de lá para cá, mudou alguma coisa? Com certeza mudou, não é? Se não, nós não estaríamos aqui hoje!

Vamos nos lembrar da primeira graça que recebemos de Meishu-Sama…

O que os senhores sentiram naquele momento? Alegria? Gratidão? Sentimos muita gratidão, não é!

Talvez, seja por isso que Meishu-Sama afirme que “religião é milagre”, pois sem o milagre é impossível a religião cumprir verdadeiramente sua missão de religar as pessoas a Deus.

Os senhores sabem qual é o sentimento que nos liga a Deus?

Isso mesmo, a gratidão!

Foi isto que acabamos de ouvir na experiência da senhora Natalina.

Ao longo de sua vida, ela padeceu com os três tipos de sofrimentos: a doença, a pobreza e o conflito.

Porém, ao encontrar-se com Meishu-Sama, através da prática dos ensinamentos e dos milagres que recebeu, teve seu pensamento e sua vida completamente transformados.

É muito emocionante o que ela disse a esse respeito:

“Sinto que o principal milagre que recebi foi o de aprender a viver em constante estado de gratidão. Hoje, agradeço em todas as situações, mesmo nas mais difíceis e já não me preocupo com o futuro. Sei que tudo está nas mãos de Deus e Meishu Sama”.

Realmente, ela teve a permissão de alcançar o estado que Meishu-Sama denominou de verdadeira paz interior. Isso se chama felicidade.

Dona Natalina! Parabéns pela experiência, muito obrigado por compartilha-la conosco. Por favor, continue firme em seu servir na Obra Divina!

Nós estamos nos aproximando de um Culto muito especial não é?

Que culto é esse?

Isso mesmo, o Culto às Almas dos Antepassados.

Os senhores já preencheram os formulários com o nome dos antepassados, convidando-os para esse culto tão especial, que realizaremos no próximo dia 2 de novembro aqui, no Solo Sagrado?

Eu não sei os senhores, mas eu sempre deixava esse preenchimento para a última hora…

E minha esposa sempre me dava bronca por isso. No início, eu ficava chateado com ela. Mas hoje, sei que eram os meus antepassados que a usavam para me advertirem, melhor dizendo, para puxarem a minha orelha.

Na verdade, os antepassados ficam ansiosos esperando esse momento especial e, ao receberem as orações sinceras e a gratidão de seus descendentes ficam numa felicidade enorme.

Os senhores concordam com isso?

Então, se somos a síntese dos nossos antepassados, podemos concluir que antepassados felizes significa descendentes felizes, não é?

Foi isso também que ouvimos no relato da dona Natalina.

A preparação e o empenho que ela fez para manifestar a sua gratidão a Deus pela salvação e elevação espiritual dos antepassados, desencadeou um profundo processo de transformação em sua família, não foi?

Todos os anos nós recebemos inúmeras experiências, demonstrando o quanto essa sincera preparação gera Luz e elevação espiritual a todos os antepassados.

Outro dia, ouvi o relato sobre um rapaz que não conhecia a Igreja, mas que, passando na porta de um Johrei Center, viu de longe, uma pessoa acenando para ele com um papel na mão.

Porém, antes que pudesse alcançá-la, ele a perdeu de vista.

Acreditando que ela tivesse entrado no Johrei Center, ele também entrou e perguntou por essa pessoa na recepção.

Mas a dedicante afirmou que não tinha ninguém lá com aquelas características.

Então, sem perder a oportunidade, ela lhe ministrou Johrei e o convidou para preencher o formulário do culto de antepassados.

Aí, emocionado, ele falou para a dedicante que a pessoa que ele tinha visto acenando para ele era o seu pai, falecido há três anos.

Esse rapaz, além de já estar se preparando para o culto às almas dos antepassados, juntamente com a esposa e o filho tomaram a decisão de receber o Ohikari (medalha da Luz Divina) para servirem na Obra Divina.

Como todos nós estamos ligados, através dos elos espirituais, aos nossos antepassados, é importante compreendermos que a soma de méritos e virtudes, através da dedicação, da prática do Johrei, da participação nos cultos, da leitura dos ensinamentos, nunca o fazemos sozinhos.

Espiritualmente, nossos antepassados as realizam conosco.

E essa é uma grande oportunidade para, através do servir à Deus na felicidade do próximo e no bem-estar da sociedade, levar Luz para nossos antepassados.

Então, durante este mês de outubro, não percamos tempo!

Vamos começar a colocar em prática, desde já, com toda sinceridade, aquilo que cada um está pensando em fazer como preparação para receber esse importante culto.

Vamos nos preparar?

Amanhã é dia de eleições gerais no Brasil. Estou orando para que tudo transcorra em harmonia, sob a proteção de Deus e Meishu-Sama.

Desejo que todos retornem aos seus lares com muita alegria, paz e gratidão no coração.

Muito obrigado e boa dedicação a todos!