Palestra do Culto

Culto Mensal de Agradecimento – Julho 2018

Igreja Messiânica Mundial do Brasil - julho, 2018

Culto Mensal de Agradecimento
Solo Sagrado de Guarapiranga
1º de julho de 2018

Bom dia! Os senhores estão passando bem? Quem está participando conosco pela Izunome.TV, também está passando bem?

Muito obrigado e Parabéns a todos!

No mês passado nós fizemos esta primeira transmissão com o Culto do Paraíso Terrestre via Izunome TV e fiquei muito feliz, porque muitas pessoas que estavam nos seus lares e que não podiam se locomover com facilidade ou estavam impedidos de comparecer por motivo de trabalho, ou mesmo, por atividades diárias, puderam acompanhar o Culto pelo celular ou pelo computador e, assim, teve muita gente que agradeceu.

Não sei se hoje estão acompanhando, mas, daqui pra frente, vamos criar esta oportunidade para que todos participem conosco desde o início da cerimônia.

Primeiramente, agradeço a Deus e a Meishu-Sama a permissão de servirmos juntos à Obra Divina e de estarmos celebrando este culto mensal de agradecimento.

Os senhores se deram conta que, hoje, é o primeiro dia do segundo semestre do nosso ano messiânico? Que bom podermos estar aqui, no Solo Sagrado, dando, juntos, esse primeiro passo.

Eu acredito que cada um de nós tem seus sonhos, objetivos, sentimentos e pensamentos em relação ao que deseja realizar até o final do ano.

Nos ensinamentos de Meishu-Sama, sempre encontraremos a solução, o norte para conduzirmos a nossa a vida.

Conforme ouvimos há pouco no ensinamento “Eu escrevo a Verdade”, Meishu-Sama afirmou: “finalmente, o tempo chegou. Deus esclarecerá a Verdade à humanidade através de minha pessoa. Sendo essa a razão da instituição da nossa Igreja Messiânica, os textos que eu escrevo são orientados por Deus de tal forma que todas as pessoas possam compreender. […] Assim, não só ficará clara a diferença entre a Verdade e a pseudoverdade, como também vou mostrá-la com base na realidade.

É isso que vem a ser o método do Johrei, o cultivo agrícola natural, o aperfeiçoamento da arte e a construção do modelo do Paraíso Terrestre. ”

Em outras palavras, é a crença e a prática dos Ensinamentos que nos trazem a inspiração, a força e a Luz que transformam a nossa realidade.

Na Igreja Messiânica, toda hora ouvimos alguém dizer: “É preciso praticar… Tem que praticar!”, não é? Por isso, hoje, eu gostaria de pensar um pouco com os senhores a respeito da relação entre as crenças e as práticas messiânicas.

Creio que essa reflexão é muito importante para compreendermos bem quais são as nossas crenças.

Antes de tudo, é fundamental entendermos que é a nossa crença que motiva as nossas práticas. Ou seja, nós somos movidos por aquilo que acreditamos.

O ensinamento “Doutrina da Igreja Messiânica Mundial”, que pode ser considerado o credo da nossa Igreja diz:

“Nós, messiânicos, cremos em Deus, Criador do Universo.

Cremos que, desde o início da Criação, Deus objetivou estabelecer o Paraíso na Terra e tem atuado continuamente para a concretização desse objetivo.

Com tal propósito, fez do ser humano Seu representante, submetendo a ele todas as demais criaturas e coisas.

Cremos, portanto, que a história da humanidade constituiu estágios preparatórios, degraus para se concretizar o Paraíso na Terra.

Para cada época, Deus faz surgir as pessoas e as religiões necessárias, cada qual com sua missão.

Cremos que, no presente, quando o mundo vagueia em tão caótica situação, Deus enviou Meishu-Sama, fundador da Igreja Messiânica Mundial, com a suprema missão de realizar a sagrada obra de salvação da humanidade.

Por conseguinte, empenhamo-nos de corpo e alma na erradicação da doença, da pobreza e do conflito, os três grandes infortúnios que afligem a humanidade, visando à concretização do mundo ideal, de eterna paz e de perfeita Verdade, Bem e Belo.”

É importante nós sabermos que cada prática messiânica está embasada nessa crença.

Nós não podemos simplesmente praticar por praticar. Tudo aquilo que praticamos é para expressar em ação essa crença que herdamos de Meishu-Sama. Não é?

Se recebemos e ministramos Johrei é porque aprendemos com Meishu-Sama que o Johrei é um método para se criar a felicidade, pois ele acelera a dissolução e a eliminação das máculas e toxinas.

Se praticamos a Agricultura e a Alimentação Natural é porque Meishu-Sama nos ensinou que este é o caminho para reconhecermos o infinito amor de Deus que se manifesta na Natureza e desenvolvermos uma agricultura que promove saúde para todos.

Se incentivamos a prática do belo, é porque Meishu-Sama nos ensina que este é o caminho mais rápido para nos elevarmos espiritualmente e aperfeiçoarmos a nossa personalidade.

Se oferecemos o nosso tempo e a nossa gratidão a Deus, se nos dedicamos à construção dos Solos Sagrados, é porque aprendemos que fomos criados por Deus para Lhe servir na obra de salvação das pessoas e de construção do Paraíso Terrestre.

Essa é a crença que embasa as nossas ações.

Nós temos um lema: “Seguir os passos de Meishu-Sama”, não é? Sabem de onde ele vem? Nas reminiscências sobre Meishu-Sama, consta que Meishu-Sama sempre falava para as pessoas que serviam junto a ele:

“Não desviem os olhos de mim. Observem-me e dediquem de corpo e alma.”

Enfim, eu acredito que, em cada linha dos ensinamentos, está impregnado o desejo de Meishu-Sama de salvar toda a humanidade e construir o Paraíso Terrestre, porque essa é a vontade de Deus.

O senhores se lembram qual foi o ensinamento que ouvimos no primeiro culto desse ano? se lembram? Sim? Não? vamos consultar os universitários?

O ensinamento foi “O homem depende de seu pensamento”. Os senhores podem me ajudar a lembrar o que o ensinamento diz?

“[…] gratidão gera gratidão e lamúria gera lamúria. Isto acontece porque o coração agradecido comunica-se com… Deus, e o queixoso relaciona-se com [nem precisa dizer].

quem vive agradecendo, torna-se…. feliz; quem vive se lamuriando, caminha para a… infelicidade.

A frase “Alegrem-se que virão coisas alegres”, expressa uma grande verdade.”

Pois é, na fé messiânica, nós aprendemos a agradecer até pelas dificuldades que aparecem em nossas vidas, porque compreendemos que elas são purificações, que fazem parte do amor de Deus.

Podemos observar nos relatos de experiências de fé, que quando a pessoa decide se entregar a Deus e Meishu-Sama, as transformações ocorrem como pudemos ouvir na experiência do Aurelino.

Ele nos contou que, no auge do sofrimento, quando já pensava até em dar fim à própria vida, encontrou-se com um amigo e este, ao ver o seu estado, disse com firmeza: “vou te levar à Igreja do Meishu-Sama. Lá, a Luz é intensa e vai te reequilibrar.”

Eu fiquei emocionado ao ouvir o Aurelino dizer que, mesmo não tendo entendido o que o amigo havia dito, ao ouvir o nome “Meishu-Sama”, sentiu um enorme alívio, segurança, e uma grande esperança invadiu seu coração.

E, acreditando nesse sentimento, ele se empenhou em praticar as orientações recebidas e transformou toda a sua vida.

Aurelino, parabéns! Continue firme em suas dedicações!

Alguns dias atrás, ouvi também a experiência de uma senhora que recebeu o diagnóstico de cisto hemorrágico do tamanho de uma laranja no ovário esquerdo.

Segundo os médicos, por causa do tamanho, era praticamente impossível este cisto ser absorvido pelo seu corpo.

Ficou marcado, então, que em 15 dias, ela faria novos exames antes de definir a data da cirurgia.

Conversando com sua ministra, ela recebeu a orientação de dedicar com amor e gratidão na limpeza dos banheiros e de receber 10 Johrei por dia, durante esses 15 dias.

Apesar de ser um tempo muito curto para uma provável solução do problema, ela tomou a decisão e se dedicou a essas práticas de corpo e alma.

Passados os 15 dias, ela refez os exames e para sua alegria, o cisto tinha sumido, fora absorvido pelo corpo.

Realmente, eu não sei se isso acontece com todo mundo, mas eu sinto que através das purificações difíceis buscamos mais a Deus e experimentamos a grande alegria de ser salvos pela Sua Luz.

Precisamos nos lembrar que, toda e qualquer purificação, seja ela qual for, imediatamente acaba, tão logo cumpra sua missão, que é eliminar as nuvens espirituais e as máculas que precisam ser purificadas.

Acredito que esse é o nosso grande aprendizado.

Outro dia, conversei com uma senhora que estava com a fisionomia muito triste e preocupada. Perguntei a ela o que estava acontecendo.

E achei até engraçado o jeito como ela me respondeu:

“Ah, reverendo, as coisas estão muito difíceis. Parece que nunca mais vai chover na minha horta.

Nada está dando certo na minha vida… Parece que está tudo nublado.”

Então, eu disse a ela: “Opa! Está nublado? Se está nublado é sinal que poderá começar a chover, não é? Ou a senhora acha que é possível chover se não houver nuvens?”

Ela ficou meio pensativa, com jeito de que não estava entendendo muito bem.

Então, expliquei mais um pouco: “Veja, se as nuvens se acumularam e o céu já ficou cinza, comece a agradecer a chuva que está por vir. Dedique-se ainda mais, para agradecer a chuva que Deus está preparando para molhar a sua horta.”

Algumas semanas depois, a encontrei novamente e perguntei: “E aí, como estão as coisas?” E ela respondeu: “Reverendo, já começou a cair uns pinguinhos!”

Eu fiquei surpreso e muito emocionado, pois eu vi que ela já estava conseguindo agradecer por esses pinguinhos.

Meishu-Sama ensina que devemos aprender com a natureza, não é? Se a observarmos, veremos que as nuvens se formam e se acumulam no céu.

Algumas logo se dissipam com os ventos. Outras, deixam o céu nublado, pesado e escuro, até que a chuva caia.

Quando a chuva cai, a vida se renova e brota na terra. As plantas, animais, insetos… todos se regozijam com as bênçãos da natureza.

É isso mesmo! Na natureza, para que as nuvens se formem e a chuva caia é preciso calor. Da mesma forma, para eliminarmos nossas nuvens espirituais, precisamos da Luz de Deus.

Portanto, quando percebermos que o “tempo fechou”, que o “céu está pesado”, devemos nos centrar em Deus e Meishu-Sama.

Fortalecer ainda mais a nossa fé e nos dedicar à leitura e prática dos ensinamentos, à salvação das pessoas e à construção do Paraíso Terrestre.

É dessa forma, orando e dedicando, que a Luz de Deus se propaga e que alcançamos paz e segurança para ultrapassarmos as purificações, e cumprirmos nossa missão.

No mês que vem, iremos celebrar aqui, no Solo Sagrado, o Culto dedicado a Agricultura Natural, onde iremos agradecer a Deus a permissão de cultivarmos alimentos ricos em energia vital que são essenciais para vida humana.

Nessa oportunidade, iremos expor os trabalhos de horta caseira realizados em todo o Brasil.

Parabenizo, antecipadamente, os praticantes da coluna da Agricultura Natural e espero encontrar com todos no mês que vem.

Que iluminados por Deus e Meishu-Sama, possamos iniciar nosso segundo semestre com muita alegria, paz e gratidão no coração.

Muito obrigado e boa dedicação a todos!