Palestra do Culto

Culto Mensal de Agradecimento – Fevereiro 2018

Igreja Messiânica Mundial do Brasil - fevereiro, 2018

Culto Mensal de Agradecimento
Solo Sagrado de Guarapiranga
4 de fevereiro de 2018

Bom-dia a todos! Os senhores estão passando bem? Estão felizes?

Em primeiro lugar, quero expressar minha mais sincera gratidão a Deus e a Meishu-Sama pela permissão de juntos dedicarmos em Sua maravilhosa Obra, e de celebrar este culto mensal com os senhores.

Hoje, estamos recebendo 7 messiânicos do exterior, representando Angola, Moçambique e Portugal. Sejam bem-vindos ao Solo Sagrado!

Na próxima semana, começa o carnaval, não é? Já estão preparados?

O ano de 2017, realmente, foi muito intenso.

Eu não sei os senhores, mas a sensação que eu tive é que, logo após ter celebrado o culto de ano-novo, já estávamos no final do ano, celebrando o Culto do Natalício de Meishu-Sama.

Foi tudo muito rápido, não foi?

Realmente, nesse ano que passou, aconteceram muitos fatos marcantes que mexeram conosco, purificações individuais e coletivas.

Tivemos momentos que nos trouxeram alegria e ânimo e outros que nos trouxeram tristeza e até desânimo…

Na verdade, mesmo entrando em 2018, continuamos vivendo momentos de muita agitação e inquietações.

A todo tempo surgem situações que nos incomodam que nos tiram a paz.

Me parece que, de uma forma ou de outra, estamos sendo obrigados a rever nossos valores e a mudar os pensamentos e atitudes que se baseiam no egoísmo e no materialismo.

Então, eu fico pensando: o que será que está provocando toda essa agitação no mundo e no interior dos seres humanos? Por que será que isso acontece?

A tendência humana é pensar que são os acontecimentos, as pessoas e suas atitudes que estão provocando toda essa agitação. Isto não deixa de ser verdade.

Não posso negar que os pensamentos, palavras e ações humanas realmente têm relação com toda essa agitação em nosso interior.

Mas fico me perguntando: quem será que está por trás de tudo isso?

Quando me faço essas perguntas, lembro-me de Meishu-Sama.

Ele sofreu muito até compreender que, na verdade, Deus estava vivo dentro de si e que era Ele quem o movia livremente, conforme a Sua vontade.

Depois que reconheceu esta verdade, Meishu-Sama tornou-se a pessoa mais feliz do mundo.

Portanto, se reconhecermos que Deus é a nossa própria vida e que é Ele quem nos guia o tempo todo, assim como Meishu-Sama, acredito que também sentiremos uma profunda sensação de paz e segurança, e conseguiremos cumprir nossa missão.

Foi isso que ouvimos há pouco no relato da senhora Sílvia, não foi?

Ela nos contou que tinha uma vida aparentemente perfeita: uma família maravilhosa, sucesso profissional, saúde e tranquilidade financeira.

Mesmo assim, ela não conseguia se sentir verdadeiramente feliz e sentia uma enorme angústia e vazio.

Por fim, ela sentiu a necessidade de buscar Deus de uma maneira mais intensa, colocando o espírito na frente da matéria.

A partir de então, através das dedicações, sua vida começou a mudar.

Eu fiquei profundamente emocionado quando, ao final do seu relato, ela afirmou:

“Entendi que é Deus que está no comando de tudo. Quando confiei a Ele o controle da minha vida e passei a me empenhar para fazer outras pessoas felizes, meu destino se transformou e pude alcançar a verdadeira felicidade!”

Parabéns, Sílvia, por ter confiado o controle da sua vida nas mãos de Deus! Muito obrigado por compartilhar conosco sua experiência.

Realmente, aprendemos com Meishu-Sama uma nova maneira de viver, compreendendo que tudo o que acontece em nossa vida tem uma razão e que, no fundo, é Deus quem está utilizando esses acontecimentos para promover o nosso crescimento e a concretização do Seu plano.

É importante nos conscientizar que estamos sendo preparados por Deus para viver a Era do Dia.

Como seguidores de Meishu-Sama, eu gostaria de, juntamente com os senhores, transformar 2018 num ano messiânico.

Os senhores querem que 2018 seja um ano messiânico?

Ótimo, entendi! Mas o que é um “ano messiânico”? Os senhores sabem o que é preciso fazer para 2018 se tornar, de fato, um ano messiânico?

Eu acredito que o primeiro passo é compreendermos que esta é uma tarefa que abrange o pensamento, as palavras e as ações de todos nós.

Meishu-Sama nos ensina que tudo começa pelo espírito, pelo pensamento.

Os senhores se lembram do ensinamento do Culto de Ano-novo? “O homem depende de seu pensamento”, não foi?

Portanto, em primeiro lugar, precisamos determinar no nosso pensamento que queremos tornar 2018 num ano messiânico.

Outro ponto muito importante que Meishu-Sama nos ensina é que:

“Gratidão gera gratidão” e que “Quem vive agradecendo torna-se feliz”.

Então, como cuidaremos das nossas palavras e ações para que elas estejam de acordo com esta grande verdade?

Por exemplo: lamúria e conformismo são atitudes que não combinam com o pensamento messiânico.

Diante de uma dificuldade, o messiânico não entrega os pontos, não desiste, não fica sentado chorando, se lamentando.

Ele agradece a oportunidade de crescer através dos obstáculos; busca em Deus e Meishu-Sama força, coragem e sabedoria para superá-los; dedica e se esforça para evoluir e se tornar um elemento cada vez mais útil à Obra Divina.

Meishu-Sama foi o primeiro messiânico e, através do próprio exemplo, nos mostrou o que precisamos fazer para cultivar a felicidade e transformar o nosso destino.

Ele nos ensinou que Deus desenvolve Sua obra a partir de pequenos modelos e que uma única pessoa pode servir como modelo de milhões de outras.

Se o ser humano conseguisse compreender o quanto cada pessoa é importante para Deus, como seria sua maneira de pensar e de agir?

Nesse sentido, o pensamento, as palavras e as ações de um messiânico podem levar felicidade a uma ou a um incontável número de pessoas, influenciando, assim, na transformação do mundo.

Meishu-Sama ensinou: “lendo os meus Ensinamentos, em algum lugar, encontrarão a resposta; portanto, se discernirem baseados neles, não terão nenhuma dificuldade”.

Assim, os messiânicos precisam estar preparados para analisar as situações e tomar suas decisões baseando-se nos ensinamentos de Meishu-Sama!

Como eu desejo transformar 2018 em um ano messiânico, venho fazendo minhas reflexões através da leitura dos ensinamentos.

Outro dia, eu li o ensinamento “Subjetivismo e objetivismo”. Sabem como eu li o ensinamento?

“Marco, meu querido, não seja ‘cabeça dura’, teimoso… Aquele que sustenta inflexivelmente as próprias opiniões, julga o próximo baseando-se nelas. É necessário que o homem aprenda a se analisar objetivamente, crie em si uma ‘segunda pessoa’ que o veja e critique. Tal prática lhe evitará muitos problemas.”

Depois que li esse ensinamento, iniciei uma prática para criar o meu “segundo eu”. Sabem como eu faço?

Todos os dias, logo de manhã, vou lavar o rosto e olho o espelho. Adivinhem quem está lá, me olhando? O meu segundo eu!

Sabem o que ele fala para mim? “Marco, bom dia! Cadê o sorriso?” Então, eu dou um sorriso, e ele diz: “Ah! Melhorou!” Em seguida, ele continua: “Olha, não se esqueça de agradecer a todas as pessoas”; “Agradeça todas as situações….”; “Seja paciente!” “Não esqueça de receber Johrei…”

Eu não sei, mas tenho a impressão de que o meu “segundo eu” me conhece mais do que eu imaginava! E fala exatamente o que eu preciso ouvir, mesmo que eu não queira.

Realmente, criar dentro de si essa “segunda pessoa” que nos observa à luz dos ensinamentos é muito importante.

Acredito que outro ponto fundamental para transformar 2018 num ano messiânico é a prática do Johrei.

Nós messiânicos recebemos a permissão de Meishu-Sama de ministrarmos Johrei, mas muitas vezes, na correria do dia a dia, acabamos negligenciando sua prática.

O Johrei é a pratica essencial do messiânico como caminho para conduzir as pessoas à salvação e à felicidade.

Nesse sentido, com o desejo firme de transformarmos 2018 em um ano messiânico, juntos vamos nos empenhar em transmitir o amor e a Luz do Supremo Deus, que ilumina o mundo e as pessoas, por meio do sagrado ato do Johrei.

Que tenhamos a plena certeza de que essa Luz também está iluminando o nosso dia a dia, nos abençoando e protegendo, tanto nos momentos agradáveis como nos desagradáveis.

Então, antes de encerrar, deixe-me confirmar uma coisa.

Os senhores me ajudem, por favor: 2018 será…

Vou dar uma dica: 2018 será um ano messiânico!

Graças a Deus e Meishu-Sama! Isso mesmo! Um ano messiânico!

Assim, com essa firme decisão, em nome do Messias que é uno a Meishu-Sama, vamos servir a Deus com muita alegria e gratidão, desejando que a Sua Luz se manifeste em nosso sonen, palavras e ações!

Um bom carnaval de muita paz e alegria!

Muito obrigado e boa dedicação a todos!

Um feliz ano messiânico!