Belo



Origem
"No jardim do Paraíso, purificam-se as almas das pessoas, maculadas pelas impurezas deste mundo."

Meishu-Sama

No poema acima, Meishu-Sama esclarece que as pessoas que visitarem o Solo Sagrado, poderão purificar as máculas do espírito e, pela lapidação da alma, obter maior rendimento no trabalho. Por essa razão, ele afirmou: "... o seu caráter também se elevará. Consequentemente, é inestimável a contribuição que o protótipo do Paraíso Terrestre poderá prestar aos espíritos das pessoas da sociedade."
O Fundador afirmou que as obras-primas da Arte existem para serem mostradas a um grande número de pessoas, a fim de que elas elevem sua espiritualidade enquanto se deleitam com o Belo.
Assim propôs a campanha de formação do Paraíso por meio das flores: "Nosso objetivo é adornar com elas [flores] todos os lugares e classes sociais, colocando-as à vista de todas as pessoas.", esclareceu. Ele ainda acrescentou que, ornamentando com flores os locais onde se encontram as pessoas, é possível transformar sociedade, diminuindo o aspecto infernal do mundo.
A Arte é imprescindível para o Paraíso Terrestre, e o contato com ela é uma condição necessária para que as pessoas possam habitá-lo. Desde jovem, Meishu-Sama gostava de tudo o que se relacionasse ao Belo.
Sobre suas inúmeras atividades que diziam respeito à arte, Meishu-Sama afirmou: "Eu me divirto fazendo caligrafias, compondo poemas, vivificando flores e praticando a cerimônia do chá. Gosto, também, de obras de arte; por isso, de acordo com as possibilidades financeiras, tenho adquirido algumas. Também através das doações dos fiéis, estou satisfazendo um pouco da minha sede de Arte. Gosto, ainda, de teatro e música, mas, como me falta tempo, satisfaço-me, de certa forma, com cinema e rádio". Relembrando essa condição de vida, ele prosseguiu: "Minha vida diária, na sua maior parte, está preenchida pela Arte. Posso até afirmar que vivo uma vida artística."
Meishu-Sama sempre se encontrava com intelectuais e, nessas oportunidades, mantinha a postura de aprender.

Conceito
"O Belo não é simplesmente uma satisfação individual, mas também o que causa uma sensação agradável aos outros; assim, podemos dizer que é uma espécie de boa ação", escreveu o Fundador.
Ou seja, a arte não é apenas um deleite para os olhos do ser humano, mas também a materialização da sensibilidade espiritual humana e expressão dos sentimentos de bem por meio das composições que o artista cria.
Meishu-Sama esclareceu-nos que o Paraíso Terrestre, que temos por ideal, é o Mundo da Arte. Ensinou-nos, ainda, que, para habitarmos o Paraíso Terrestre, precisamos polir nossa alma e purificar nosso espírito. Para tanto, devemos contatar com obras de arte de nível elevado. Com a purificação da alma, por meio do Johrei e da ingestão de alimentos puros, de forte energia espiritual, cultivados pelo método da Agricultura Natural, ele criou o caminho da nossa Igreja, que é a salvação por meio do Belo. Segundo ele: "Obviamente, o Paraíso Terrestre é o mundo de perfeita Verdade, Bem e Belo. O Johrei, vida de nossa Igreja e também método para obtenção da saúde, e a Agricultura Natural são meios de que nos utilizamos para materializá-lo, mas o Johrei, além de promover a renovação do corpo físico, visa também à renovação do espírito. Independentemente de tais métodos, é de extrema urgência elevar o espírito das pessoas através do Belo."
Estudar os Ensinamentos diariamente a fim de compreendermos o porquê da necessidade da Arte no Paraíso Terrestre e conscientizar-nos da importância de termos contato com ela é de fundamental importância. Baseados em sua postura e em seu Ensinamento "A Arte é vida", desejamos introduzir a arte em nossa vida diária, para que possamos viver uma vida repleta de Belo.
Meishu-Sama disse também: "Em relação ao homem, é a beleza dos sentimentos, o belo espiritual. Naturalmente, as palavras e atitudes do homem devem ser belas. Da expansão do belo individual nascerá o belo social."
Quando falamos sobre o conceito de Arte, não podemos segregá-lo dos conceitos religiosos, pois essa transcendência está intimamente relacionada com o sentimento de salvação e construção de um mundo livre dos males que agridem o ser humano. É importante esclarecer que a Arte, apesar de sua íntima ligação com a religião, não se limita a artigos religiosos ou símbolos sagrados. Antes, Meishu-Sama procura, por meio da espiritualidade, elevar os sentimentos e o caráter do ser humano.
"O conceito atual de que Religião está desligada da Arte parece-me um grande equívoco. Enobrecer os sentimentos do homem e enriquecer lhe a vida, proporcionando-lhe alegria e sentido, é a missão da Arte", a qual assume uma posição na sociedade até hoje inimaginável. A espiritualidade proposta constitui a essência das artes. No Ensinamento "A Missão da Arte"1, o Fundador nos apresenta uma visão integral sobre o papel do artista, da obra artística e do apreciador.

Missão
Sabendo que a construção deste mundo ideal não está distante de nós, mas em atos, palavras, pensamentos ou qualquer atividade, que são capazes de transformar os sentimentos e o caráter, basta empregar a espiritualidade e a arte em nosso cotidiano.
A prática do Belo propõe uma nova consciência à sociedade, concomitantemente à prática em prol de uma civilização baseada na saúde, na prosperidade e na arte em harmonia entre os seres humanos e a grande natureza. Meishu-Sama afirmou: "[...] o objetivo da fé é polir a alma e purificar os sentimentos. Existem [...] maneiras para conseguirmos isso: [...] pela soma de méritos e virtudes e pela elevação da alma por influência da arte [...]. Dentre elas, o caminho mais rápido é este último."
Ou seja: "É preciso, todavia, que o caráter dos artistas seja muito mais elevado que o das pessoas comuns. [...] o progresso da civilização consiste na eliminação do caráter animal do homem. Alcançar esse nível é alcançar a Verdadeira Civilização."
O artista, como membro da sociedade, exerce influência sobre todos os que entram em contato com suas obras. Estas possuem uma intrínseca ligação com quem as produziu, ultrapassando o campo material, atingindo o sentimento, a mente, o campo metafísico e espiritual.
Portanto, o indivíduo, ao empregar atitudes espiritualistas e artísticas em sua vida, assume o papel de transformador de realidades, caracteres e sentimentos. Nesse sentido tudo que é produzido por ele assume característica de arte.

Agricultura
Agricultura Agricultura Agricultura Agricultura

Receba nossas novidades